Aluno do oitavo ano da Escola EB 2,3 de Freixianda vence Olimpíadas da Cultura Clássica

O aluno Pedro Miguel Neves de Oliveira, da turma 8.°FB, obteve o primeiro lugar nas "Olimpíadas da Cultura Clássica", um projeto da Rede de Bibliotecas Escolares e do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde participaram mais de 3000 alunos. O aluno foi agraciado com o primeiro prémio no desafio escrito, que constou de uma prova de verificação de conhecimentos sobre os mitos de “Cassandra” e “Ícaro e Dédalo”, selecionados como objeto de estudo este ano letivo, e da produção de dois textos criativos a partir destes mitos.
De salientar que, no ano letivo transato, um grupo de quatro alunos da mesma turma já tinha sido reconhecido com o primeiro prémio no desafio artes e multimédia – categoria escultura/instalação, com a elaboração de uma peça artística sobre o mito de “Píramo e Tisbe”. “Em ambos os casos, pela expressão escrita ou pela arte, o fim último das Olimpíadas da Cultura Clássica é oferecer, aos alunos, bons (pre)textos para pensar, em conjunto, sobre o destino coletivo”, e é por isso que de há dois anos para cá, nas aulas de Português, se tem abraçado este projeto em articulação com o currículo.
Ao Pedro Oliveira e a todos os alunos da turma 8.°FB, que de forma dedicada se envolveram nesta iniciativa, participando quer no desafio escrito quer no desafio artes e multimédia, muitos parabéns!

Alunos da Escola EB 2,3 de Freixianda participaram na AJO Um grupo de cinco alunos das turmas FA e FB do oitavo ano representaram a Escola EB 2,3 de Freixianda na IV - Edição da AJO – Assembleia Jovem de Ourém, cuja sessão se realizou terça-feira, dia 24 de maio, nos Paços do Concelho. Nessa sessão de trabalho, a equipa constituída pelos alunos Francisca Ferreira, Maria Marques, Mariana Pontes, Pedro Bilreiro e Rita Simões, acompanhada pela professora Susana Caetano Neves, apresentou e defendeu o Projeto «Agroal. Age agora. Garante o futuro», no âmbito da temática proposta para este ano letivo: “Água – Um património a preservar”.
Embora o projeto proposto não tenha sido o eleito na sessão, o trabalho desenvolvido foi amplamente reconhecido pelo senhor Presidente da
Assembleia Municipal, engenheiro João Moura. Com efeito, após a apresentação do projeto, este autarca não só congratulou a porta-voz do grupo, Rita Simões, pelo seu “entusiasmo contagiante” e “apresentação excelente”, como também destacou a qualidade “extraordinária” da apresentação de suporte que foi exibida, assumindo, desde logo, o seu interesse em desenvolver algumas das iniciativas constantes do roteiro apresentado. Citando as suas palavras: “Eu acho a ideia da mascote giríssima. Aconteça o que acontecer com o vosso projeto, eu acho que nós vamos adotar isso. A Assembleia Municipal vai fazer uma mascote para lá.”
Assim, pela forma séria, entusiasmada, transparente e criativa como integraram esta iniciativa de cidadania ativa e de participação democrática e
pelo olhar crítico que demonstraram ter sobre o território onde habitam, todos os alunos que, de alguma forma, se envolveram na consecução deste projeto estão de parabéns.

«Vamos extinguir a corrupção» foi o resultado do trabalho desenvolvido pelas duas turmas do oitavo ano da Escola EB 2,3 de Freixianda, sobre a temática da corrupção. Este trabalho foi coordenado pela professora das disciplinas de Cidadania e Desenvolvimento e Português, Susana Caetano Neves, numa perspetiva interdisciplinar.
Depois de terem procedido ao esclarecimento do conceito de corrupção e à identificação de vários tipos de corrupção, através de um trabalho de pesquisa, os alunos envolvidos foram levados a refletir sobre os malefícios da corrupção para a sociedade e desafiados a equacionarem uma forma de alertarem a comunidade para este problema. Optaram por fazê-lo de uma forma criativa, compondo uma música rap. Para isso, os alunos das duas turmas envolvidas procederam à elaboração de quadras sobre o tema, que depois, em plenário, foram objeto de seleção e organização, a fim de constituírem a letra do rap a realizar. A produção do rap e a edição do vídeo ficou a cargo de um grupo de discentes de uma das turmas, sendo que toda a conceção do projeto foi feita previamente pelo universo de alunos envolvidos.

No âmbito do projeto de flexibilidade curricular da turma 12.º B, intitulado “Acessibilidades”, os alunos realizaram uma caminhada da Escola Secundária até ao Castelo de Ourém, de modo a recolher informações/fotografias sobre:  rampas/acessos a diferentes locais da comunidade/ estabelecimentos comerciais; medição de rampas para estudar a inclinação; acesso a máquinas de levantamento de dinheiro; biodiversidade no trajeto; sinalética; linguagem nos placares informativos e paisagem vista do castelo. Registaram ainda as suas sensações antes, no decorrer e depois da caminhada.

Os objetivos pretenderam sensibilizar alunos e comunidade para a temática das acessibilidades e igualdade de oportunidades e ainda reconhecer a atividade física, o contacto com a natureza e com o meio cultural  como fatores promotores da saúde mental.

Partindo da recolha de registos fotográficos sobre acessibilidades, foram elaborados cartazes de sensibilização e artigos de opinião sobre a temática e foi igualmente produzido um vídeo.

O projeto mobilizou conhecimentos das disciplinas de matemática, biologia, aplicações informáticas, português, educação física e cidadania, permitindo ainda uma manhã de saudável convívio entre professores e alunos em comunhão com o meio envolvente.

 

 

 

Notícias