No âmbito do Festival de Teatro Juvenil de Leiria, a decorrer no Teatro Miguel Franco, o STAR – Sindicato dos Técnicos Avariadores da Rotina, constituído por um grupo de alunos dos 10.º e 11.º Anos da nossa escola apresentou, na passada sexta-feira, dia 17, a peça: “Tudo o que faz mal e um pouco de bondade para desenjoar”.

Sob a orientação do professor Simão Vieira (autor do texto, encenação, concepção plástica e musical), esta proposta foi assumida a partir do trabalho com os seus alunos de Filosofia e de Cidadania e Desenvolvimento, dinamizando um grupo de reflexão e intervenção performativa sobre identidade cidadã.

A peça de teatro desenvolve uma reflexão sobre racionalidade, jogo cénico, escola, comunicação e cidadania, com uma vontade clara de celebração e flexibilização da diversidade de experiências e saberes que continuamente se descobrem como ensino-aprendizagem.

Segundo o professor Simão, o desafio passou por criar um espaço de discussão simples e genuíno, com os “superpoderes” da adolescência e da humanidade inteira – pondo mesmo a hipótese de a humanidade se encontrar numa espiral de inquietação adolescente. A exigência crítica e estética permitiu melhorar continuamente o compromisso e o desempenho do coletivo: construiu-se muito em momentos de debate intenso, a propósito de falas, soluções sónicas, movimento, guarda-roupa… Todos quiseram que resultasse muito compensador, todos quiseram ir buscar ainda mais vida ao tempo de ensaio e ao tempo imensurável da estreia. No final da atuação, percebia-se que os intérpretes tinham um olhar e uma energia especiais. Será que conseguiram ganhar mundo, viajar no tempo e alcançar qualquer coisa sem calendário? Parece, francamente, que sim.

 

 

 

Notícias